Pesquisar este blog

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Cinco insanidades do Mundo atual.

O mundo atual é cheio de insanidades. Algumas simples, engraçadas até. Outras que provocam crimes, dores e muito sofrimento. Começo este texto pelas insanidades engraçadas, aquelas que todos fazem como meio de fugir da rotina intensa que o mundo capitalista impôs sobre todos nós. Antes disso, conceituar a palavra insano, apenas para facilitar a reflexão que se segue. insano é um palavra derivada da palavra sano, que dá origem a são. Há uma expressão de origem latina que diz "mens sana in corpore sano", acho que é assim, traduzido quer dizer, Mente sã, corpo são. O que significa que se é preciso mente sã para ter corpo sadio, deduz-se que o grande número de doenças, sobretudo, as ditas psicológicas derivam de alguma coisa ligada a mente ou  alma. As insanidades então, ou seja, aquilo que não é sadio, não é probo, não é sensato, não é normal é fruto de um desajuste mental, ou fruto de uma mente que não está sã. Não entrando aqui nas profundezas filosóficas vamos tentar enumerar alguns comportamentos atuais que podem ser considera insanos.

O primeiro. Dia domingo, a mulher não quer cozinhar, quer sair para almoçar fora. Estamos todos cansados de comer comida caseira, diz. Lá se vai, roda, roda pela cidade e acaba em um restaurante que serve comida caseira. Ora, se o motivo da saída era fugir da mesmice da comida caseira por que ir a um restaurante que serve comida caseira?
O segundo.  A jovem moça está sozinha, solteira, solitária. Sente-se sozinha e infeliz. Começa então a procurar um namorado. Encontrando-o a primeira coisa que diz é: - Olha, por favor, eu gosto muito de estar sozinha, por favor não invada a minha privacidade. Eu preciso de tempo para estar sozinha, preciso estar comigo mesma, entende?". Ora se entendo. Eu entendo que você é completamente louca, insana, não sabe o que quer, o que deseja, o que pode,  e o que deve fazer de sua vida. Isso server também para os rapazes, aliás, todos exemplos aqui vão eivados de gênero, não se pretende discutir aqui as diferenças entre o homem e a mulher, apenas a insanidade do comportamento humano.

Terceiro. O rapaz mora sozinha. Resolve sair de casa e ir para um bar, um parque. Pensa, preciso ira para algum lugar onde tenha gente. Chegando lá senta-se quieto. Olha para o mundo, e volta-se para dentro de si. Aproxima-se uma jovem bonita, elegante, bem vestida. Ele de tão sozinho que estava não percebe. Finalmente ela consegue chamar a atenção dele, ao que recebe a seguinte repreensão: - Não vê que estou tentando ficar sozinho e pensar tranquilamente". Oh  sim, deveria responder ela. Vejo que você é louco, insano, totalmente insano.

Quarto. A mulher namora um rapaz durante seis anos. Ele inventa todas as desculpas para  não assumir ela e nem comprometer-se ao casamento. Ela inventa que arrumou outro namorado e ela faz algumas concessões. E começa uma rede de mentiras. Anos depois, já visivelmente deprimida, a mulher resolve seguir em frente, arruma outro namorado, o que enlouquece o ex-namorado canalha. Eles se encontram, ele faz juras de amor. E recomeça tudo outra vez. Mais um ano, e nada de aliança, nada de compromisso e ela vê os seus sonhos de ser mãe e ter sua família indo agua abaixo. Encontra outro namorado, e, desta vez diz que quer se casar, namorar sério, constituir família. Para surpresa, o rapaz aceita a idéia, compra a aliança. Ela antes de aceitar vai buscar conselhos junto ao ex que nada quer assumir com ela. Ele se desespera, faz juras de amor, e começa um reino de chantagens. O outro, nada sabe. Aos trancos e barrancos a vida segue. Ela se engravida, e finalmente ele encontra a mais terrível das desculpas: Se ela não tivesse engravidado de outro ele  certamente casaria com ela. Sei, insano, louco, canalha. Certamente casaria  quando ela caísse os dentes e estivesse na menopausa.  A história não termina ai. Começa novamente as promessas de amor e juras eternas. Telefonemas, cartas, e por fim, o outro ( que na verdade agora é marido e pai da filha), torna-se o corno da história. Como tudo que é ruim pode ficar pior, a confusão aumenta e o Cavalo montado no cavaleiro branco, ( ou seria o contrário?), começa a dizer a todos que quer casar-se com ela. Cada vez que ouve tal história a insana sai de casa, cria situações horríveis ao ponto de provocar tragédias. Eis que um dia finalmente o casamento acaba. Agora nada mais impede o Cavalo negro vir montado no Cavaleiro branco, buscar sua amada. Eis que, no entanto, nada foi combinado com os russos. Sentindo-se ameaçado o Cavalheiro montado no cavalo branco fica confuso, e precisando se proteger e sentindo-se vítima vai a delegacia e argumenta estar sendo ameaçado de morte por alguém que  não o conhece, e perturbado por alguém que nunca foi a sua casa. Instado pelo delegado a dizer o motivo de tanta insanidade ele afirma ao delegado: Fui namorado da Senhora x por seis anos, terminamos o namoro, e ela mesmo casada me procura insistentemente e, agora estou me sentindo ameaçado pelo o ex-marido dela. Afirma ainda que ele mesmo é uma vítima, e que mesmo ela o procurando, ele nunca a quis, e ela nunca teve êxito. Para comprovar as próprias insanidades anexa um e-mail enviado para ele, por ela, e, sem perceber deixa a resposta que ele envia confirmando o encontro. Insano, idiota, e burro?

Quinto. O homem casa-se. Durante anos a fio trai sua mulher. Acha-a boba demais para descobrir suas escapadas. Abjura, escarnece dela. A mulher, por sua vez, depois de anos de sofrimento e degradação em busca da superação na corrida para "segurar" seu homem,  percebe-se no fundo do poço. Eis que reage. Como? Da mesma forma que ele. Começa a trair, escarnecer, abjurar. O casamento começa a ir de agua abaixo. Começa-se um verdadeiro inferno onde poderia ter sido um Paraíso. A liberalidade pretendida não serve para ambos. Se queriam viver todos os tipos de orgias, por que casaram? Se se pode ficar com outro quando estão juntos por que não separados?  Insanidade, loucura?

O grande problema de definir o que é a insanidade é justamente definir o que é o normal. Nos nossos dias tudo parece ter se tornado normal. As pessoas perderam o senso do que é o certo e o errado. Aliás, muitos dizem que considerar a existência do certo e do errado é cafona e antiquado. Ao abandonar o senso do certo e do errado não se pode ter outra coisa que não uma grande confusão. Afinal, a tecnologia por mais avançada que seja não conseguiu ainda modificar a natureza humana, no máximo, conseguiu alguns instrumentos de dominação.  Fugir destas insanidades, nos dias atuais, tem ficado cada vez mais complicado. Tudo está se tornando um emaranhado tão difícil de se compreender que todos acabam envolvidos em um circulo de loucuras sem fim.



Um comentário:

  1. Tenho um ex namorado psicopata, namoramos um ano e 06 meses, eu terminei o namoro mais ele mentiu a todos que foi ele, em questão de dias ele tava com outra que não durou mais que dois meses, ele foi corno, me confessou que mesmo estando com ela emagreceu 11 kilos por mim, que errou e não teria feito o que fez, durante todo namoro eu pisei nele e mantive um relacionamento por comodismo pois, ele fazia tudo que eu queria e não tinha vida própria...mesmo depois de dois anos ele me persegue mais diz aos outros que sou eu e a ultima que soube que ele inventou que fui atras dele para pedir uma noite de sexo namorando outro.....neste caso certeza que ele necessita de um tratamento médico

    ResponderExcluir