Pesquisar este blog

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Nossa História

Eu andava firme, de cabeça erguida, peito levantado.
Lágrimas nos olhos e um peito cheio de amor
Um amor não vivido, quase esquecido em um triste passado.
Mas eu caminhava, tocava em frente suportando a dor.

Eu não me detinha, não importava a dor que me assolava.
E tinha esperanças de viver a vida em família amorosa.
O amor no peito, já calmo da dor não incomodava.
E eu caminhava, pelo jardim da vida a procura de uma rosa.

Eu já tinha aprendido que o amor do peito estaria sempre ao lado.
Eu poderia, porém, sempre viver a felicidade.
Uma vida simples, costumes faceiros, pensamentos equilibrados.
Deixando as paixões sempre no controle da minha vontade.

Você apareceu, rosto inocente e sorriso alado.
Invadiu meu ser, tocou minha vida, assolou o meu coração.
E em pouco tempo deixou-me todo enfeitiçado.
E o meu peito virou um campo de guerra entre o amor e a paixão.

Você trouxe esperanças de viver comigo vida amorosa.
Construir família, plantar a bondade, colher o amor.
E eu pensei que você era aquela procurada rosa.
Mas o que me trouxestes foi apenas espinhos de dor.

O tempo passou, e de rosa, fostes se transformando em erva daninha.
Pisou em meu coração, rasgou minha alma,  deixou meu peito fraturado.
O meu cuidado dispensado foi a mesma arma  que destruiu a vinha.
E o que sobrou foram garrafas velhas e vinho derramado.

Eu senti a dor amarga da perfídia e da traição.
destruiu quase todos os motivo pra viver.
Todos os cuidados só aumentaram minha desilusão.
E só sobrevivi por que  quem já amou não pode morrer.

Coração quebrado,
Peito fraturado,
Alma em pedacinhos.
Tudo juntado,
tempo conformado,
lá em um cantinho.

Um pequeno rebento,
quase como um tento,
foi o que sobrou.
Um princesinha,
uma menininha,
Um novo amor.

Quase desistindo,
Já em meio as cinzas.
Eu fui encontrado.
Fraco e tristonho
E despedaçado.

Ai descobri,
Que o amor no peito,
por correspondido,
pode ser vivido
No ser sempre amado.

Hoje, quando tu voltas e olhas o que antes não quis ver,
Sou um novo ser, por que descobri, sempre ser amado.
E, hoje, tristemente, ofereço a ti o  que sempre quis receber.
A minha paixão, todo meu desejo é um vaso quebrado.










Nenhum comentário:

Postar um comentário