Pesquisar este blog

domingo, 29 de janeiro de 2012

Mensagem de Aniversário


Hoje completo 38 anos de idade. Para muitos jovens que perderam suas vidas aos 17, 18, até os 25 anos de idade, 38 anos é mesmo uma eternidade.  Quantos pais gostariam de ter visto seus filhos completarem 25 ou 30 anos de idade? Quantos morreram vítimas de balas perdidas, guerras, latrocínios, assaltos, drogas, e tantos outros males? Quantos nesta data perderam ou perderão suas vidas para o crack, a cocaína, ou qualquer outro vício fatal?
Talvez, apenas por isso eu já teria todas as razões do mundo para agradecer a Deus por estar aqui, aos 38 anos de idade. Mas não só por isso. Cheguei até aqui com  meus um metro e oitenta e sete centímetros de altura, 87 quilos e com uma saúde de quem nunca precisou ficar internado em um hospital. Muitos que sofrem de diabetes, e tantas outras doenças viriam nisso momento suficiente para agradecer a Deus. Eu agradeço, não só por isso.
Muitas crianças, nascidas como eu, no nordeste goiano, morreram de fome. Eu também passei fome. E sobrevivi. Tive sonhos, lutei, alguns, consegui. Sonhar é a força que mantém qualquer homem vivo, dizia minha querida professor Mariinha, quando eu ainda tinha oito ou nove anos de idade e ela tentava dissuadir meu pai que minhas idéias e meus sonhos não eram loucuras. É que lá pelas bandas do nordeste goiano, antes mesmo dos dez anos de idade, eu não sonhava calado e já queria ser presidente da República. Claro que meu pai pensava faltar um parafuso em minha cabeça, e reclamava para a professora estar preocupado comigo, pois alguma coisa dizia a ele faltar um parafuso na cabeça do seu menino. É, eu sonhava alto, mas sobretudo sonhava ser livre.
Logo minha professora aconselhava que a melhor forma de descobrir os mistérios do mundo e realizar os sonhos era estudar, ler. Muitos mistérios já foram desvendados, dizia ela, e o segrego estão nos livros. Tempos depois, já entre os nove, dez, onze anos, era a vez do Meu amigo Joel Pinto Barros cochichar aos meus ouvidos: Muitos dos livros possuem mistérios os quais as pessoas lêem e  não compreendem, não basta apenas aprender a ler, dizia ele, tem de se fazer merecedor de compreender os mistérios da vida.
Aos 38 anos, quase tornei-me doutor. Este sonho cruzou o caminho com outro sonho ainda mais forte: Ter família e ser família. E quando dois sonhos se cruzam na mente de um homem é como fogo na floresta. Com cuidado, alguma coisa sobra. Posso dizer, no entanto, que aprendi que ser família não depende apenas de uma pessoa. O casamento é algo que só funciona quando decidimos ficar do lado de alguém e este alguém decide ficar do nosso lado. Não tive tanta sorte com as mulheres, mas posso agradecer o fato de que na luta por ter família fui agraciado por duas filhas lindas, e, a caçula que se revela a cada dia o alimento da minha alma e motivo da minha existência.
Aos 38 anos aprendi que o verdadeiro amor não provoca sofrimento, e prefere-se sempre se dar ao sacrifício. Já aprendi que conhecimento não tem limite, e que o muito estudo enfada a alma. Já aprendi que sabedoria se conquista no silêncio da alma e na quietude do espírito. Aprendi que inimigos e adversários são mestres que deus coloca em nosso caminho para nos ensinar aquilo que jamais aprenderíamos com nossos amigos.
Só por isso, teria milhões de razões para agradecer a Deus. Entretanto, ainda há tanto mais. Como não me lembrar dos amigos que fiz ao longo desta jornada? Das músicas que marcaram época, e, dos livros que me revelaram alguns dos mistérios do Universo? Algumas companhias é quase impossível não nomear. Lenizio Léllis, Adriano, Wagner, - pessoas com as quais pude vivenciar a vida de adolescente.
Como não lembrar das noites em que sonhando com o futuro ouvia as músicas de Richard Clayderman no Internato? Carruagens de fogo, Balada por Adelino, e, o inesquecível e tradicional quarteto dos arautos do Rei, enquanto meditava nos sábios conselhos do Professor Silas. Tempos depois vieram Tocando em frente de Almir Sater, que foi trilha sonora da minha entrada na formatura do Ensino Médio e da Licenciatura, e ao som da qual tomei vinho em Campos Belos acompanhado dos amigos Adelino Machado e Joel Pinto de Barros. Boiadeiro e Pense`neu  de Luiz Gonzaga; Reconvexo de Maria Betânia, e tantas outras que ao longo desta jornada acalmaram a alma e silenciaram meu espírito de buscador.
Ah, o capitulo dos amores. Deixemos de lado o capítulo dos amores, pois este ainda é feito de sonho, uma vez que não guardo comigo as dores e sofrimentos da jornada. Há algo, que, no entanto é preciso dizer. Muito menino ouvi e li o texto de Primeiros Cor. 13. E nunca mais o esqueci. Durante este anos alimentei em minha alma um amor pela humanidade e um sonho de ver menos pessoas passando fome, menos pessoas sofrendo, e, o que é pior, menos, muito menos, pessoas na ignorância, por que hoje, me parece uma grande verdade o ditado: “Existem pessoas que são tão pobres, mas tão pobres, que de tão pobres só possui muito dinheiro”.
Ah.... Certamente existe muito mais do que agradecer. Todos os mestres que tive, os amigos, aqueles que de tão íntimos, de tão presentes nunca estiveram ausentes. Hoje completo 38 anos. Para o que morreram tão cedo, uma eternidade. Para os que conseguiram viver um século, é pouco mais de um terço da vida. Para mim, tempo suficiente para compreender a grandeza de Deus,e, de que existem deveres a serem cumpridos na nossa existência terrena. Afinal, hoje completo 38 anos, e ainda carrego em mim o sonho de ser amado e sentir uma mulher do meu lado, ainda sonho com um mundo mais justo; ainda sonho em descobrir os mistérios do Universo. Por certo, 38 anos, e carrego todos os sonhos possíveis de se sonhar.

Um comentário:

  1. Parabéns meu amigo! Feliz aniversário! Que todos os seus sonhos se relaizem antes do 40! =)

    ResponderExcluir