Pesquisar este blog

domingo, 24 de junho de 2012

Um antigo Mistério

O sol nasce mais uma vez...
E espalha seus raios na natureza.
O brilho espanta toda a escuridão da noite...
E eu ainda mantenho aquela antiga tristeza;
Por não desvendar um antigo mistério –
Por que? Por que tenho de te amar tanto assim?

Agora são meio dia. E olho para os lados.
Vejo natureza natural, e natureza artificial.
A destruição joga todos os  dados...
E eu, eu ainda continuo aqui parado...
Não vejo solução, se isto for um mal...
Por que? Por que tenho de te amar tanto assim?

Por que tenho de te amar tanto assim?
E as horas passam, e os pássaros  voam...
E a tarde chega, os raios de sol se enfraquecem...
E eu, continuo, amando, amando, amando tanto assim.
E toda esta força, toda esperança, que existe,
Não passa do reflexo destas horas tristes...

E o sol descamba pelo horizonte...
Retorna mais uma vez para a antiga fonte.
E tudo mergulha na escuridão da noite..
O meu coração sofre terríveis açoites,
E, geme, e grita, e soluça de amor.
E no refluxo do sem fim...
Permanece o antigo o antigo mistério...
Por que? Por que tenho de te amar tanto assim?

4 comentários:

  1. Se vc me amasse o tanto que amo vc, vc não estaria sozinho e sim comigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não mandamos em nosso coração. Mas como você é anônima não tem jeito de saber se o mistério do qual falo se refere a ti. De qualquer forma, obrigado pelo amor que tens por mim.

      Excluir
    2. Quem e essa mulher que vc ama tanto que não te da moral?

      Excluir