Pesquisar este blog

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Carta aos eleitos



No Congresso Nacional do PPS no ano de 2010, na cidade de São Paulo, estive nas fileiras daqueles que defenderam um envolvimento maior do partido na defesa de uma Educação de qualidade no país. Naquele momento, citei um artigo do Empresário Antônio Ermírio de Morais,  no qual ele escrever ser preciso pedir pelo amor de Deus para que os  homens públicos deste país, de uma vez por todas entendessem a necessidade de prover uma educação pública de qualidade para o nosso povo.
No referido congresso, foi aprovado entre outras questões, que o Partido entraria na luta pelos 10% do PIB para a Educação, maior investimento das prefeituras onde o partido tivesse a titularidade da prefeitura, e, uma atenção especial aos movimentos quanto a política educacional no país. Desde então, o partido por meio dos seus deputados deram um exemplo de disciplina partidária. Todos os deputados votaram pelos 10%, e toda a bancada vem participando das questões educacionais, com destaque para Stepam Necersian, representante da bancada na Comissão de Educação.
Eu não tenho dúvida que o comportamento da Bancada de deputados federais foi importante para melhorar a imagem do partido junto ao eleitorado que luta pela educação, e, que foi este um dos fatores do crescimento do partido, aliado a sabedoria nas negociações quanto a coligações e a luta ambiental. Uma prova de que a educação é uma luta premente do povo brasileiro foi a eleição de Amanda Gurgel na cidade de natal com um Recorde de votos após ter ficado famosa por enfrentar a Assembléia Legislativa do Estado, com um discurso em defesa da Educação.
No entanto, nos estados, os representantes do PPS ( deputados estaduais, vereadores e as cúpulas partidárias nos estados), não tem tido a mesma postura da Direção Nacional. Pouco se vê deputados estaduais do PPS, envolvidos nas lutas educacionais, e ainda menos, iniciativas nas Assembléias Legislativas onde temos representantes. Precisamos que todo o partido se envolva. A luta pela educação é mais que uma luta partidária ou institucional, é uma luta que precisa envolver toda a sociedade.
Por esta razão é que penso ser um momento alvissareiro, julgando pelas vitórias expressivas que tivemos em capitais e cidades de grande porte, lembrar a Esta Direção que é  o momento de manter viva a discussão feita no Congresso, e garantir que os prefeitos e vereadores eleitos tenham o mesmo compromisso que tem tido os deputados federais. No caso de Vitória, Cariacica, Ponta Grossa; que serão cidades vitrines do partido, doravante, é preciso garantir a aplicação do percentual votado no congresso, aliar competência técnica ao compromisso político com a Educação, e, sobretudo propor uma política educacional que buscando o máximo de harmonia com os Governos Estaduais e Federais, garanta:
1.       Erradicação do Analfabetismo
2.       Acesso Universal a Educação Infantil.
3.       Mudanças nas formas de Avaliação.
4.       Gestão eficaz dos programas de inclusão visando a qualidade do Ensino
5.       Investimento na Formação de Professores pesquisadores
6.       Elaboração de planos de carreira que garanta uma valorização real do Educador
7.       Instituição de Escolas de tempo Integral, visando o acesso a todas as formas de cultura e lazer.
Creio que este é o momento de mostrarmos as diferenças entre quem discursa e quem faz. Em dois anos, uma boa política educacional centrada em uma filosofia humanista e universalista de Educação será possível sentir mudanças em todas as áreas da sociedade, na família, nas ruas, no trânsito, na saúde, etc. Então, poderemos mostrar, que o gasto com educação é na verdade um grande investimento e um dos caminhos para a luta contra a violência e alto índice de criminalidade que assola o país.
Certo que a Direção Nacional aprofundará a reflexão sobre o tema  coloco-me a disposição para criarmos um Núcleo de Debate no partido, para que venhamos a ter uma proposta  de política educacional concreta e com a cara do nosso partido – humanista, socialista e ambientalista – e tenhamos assim condições de subsidiar nossos prefeitos e vereadores na luta local pela Educação.

Nos laços do Humanismo, despeço-me.
Nelson Soares dos Santos.
Técnico em Magistério
Licenciado em Pedagogia
Mestre em Educação Brasileira
                             Secretário de Formação Política e Diretor regional da FAP   - Goiás

Nenhum comentário:

Postar um comentário