Pesquisar este blog

quarta-feira, 27 de março de 2013

Saudade da Terra que amo.



 

Sou apegado a minha terra e a minha gente.

Sou muito apegado a terra onde nasci.

Entenda você que veio da Europa, da Ásia ou do Oriente.

Sou muito apegado a minha terra,  amo muito o lugar onde cresci.

 

Você que é de São Paulo ou de qualquer lugar do Sudeste;

Você que é Gaúcho ou das belas terras do Sul;

Você que é da Paraíba, ou das belas praias do Nordeste,

Saiba que na minha terra o céu é muito mais azul.

 

Tenha piedade você, que é da cidade maravilhosa.

Minha terra não tem mar, ou parques tão verdejantes.

Mas há algo em minha terra que a faz tão grandiosa;

Que faz a saudade assolar o peito de uma forma estonteante.

 

Ah terrinha querida. Pedaço de mundo que amo.

Minha terra é Ouro Minas, Nova Roma,  Divinópolis.

Minha terra é este rincão chamado Nordeste Goiano.

Minha pequena cidade maior que qualquer metrópole.

 

Nada é mais bela que minha terra querida.

Por que ela me trouxe a luz...

Por que ela me trouxe a vida.

 

Divinópolis é Magalópe dentro do meu coração.

É de lá que vejo o mundo em toda a sua amplitude.

Vejo o passado Glorioso e  o futuro da nação.

E sem um pouco de dor, vejo o presente rude.

 

Nada, nada é mais belo que minha terra querida.

E a saudade corta o peito por estar tão longe dela.

É dela que minha alma tudo vê, determinada, enternecida;

E segue pintando a vida como leve aquarela.

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário