Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Hipócritas!!! – Deixem Mandela descansar em Paz.


Nelson Soares dos Santos[1]

Quando vejo tantos chefes de Estado indo velar Mandela, sinto-me agredido, por que nada me agride mais que a hipocrisia descarada e sem vergonha. E por que é hipocrisia, os líderes de países desenvolvidos e tanta gente, dizer agora que admira Mandela e os princípios que seguiu na vida? É simples: a luta de Madiba nunca terminou, pelo contrário, está cada vez mais difícil, mais cruel, mais dura.

A hipocrisia dos conservadores.

Quando vejo conservadores e reacionários usando o discurso de igualdade para justificar ser contra as cotas raciais dá um verdadeiro asco. Ora, Madiba nunca deixou de lutar pela emancipação do negro. O que ele fez foi perceber que para além da luta de raças há uma luta mais cruel, a luta de classes e que para vencer esta luta os iguais tem que se unir em busca de soluções. Na prisão, Madiba via nos guardas das prisões, assalariados, explorados pessoas tão prisioneiras como ele e então ele entendeu que para além da questão de raça havia algo mais contra o que lutar, e que a própria diferenças de raças foram utilizadas apenas como meio de manter uma tipo de dominação, que em síntese, repousava no direito de possuir condições materiais de vida com qualidade.
Os conservadores que hoje fazem coro ao discurso do velho Madiba deveriam ser generosos com seus funcionários. Ele próprio era assim. Procurava saber dos problemas de cada um dos familiares daqueles que com ele trabalhava. Procurava ouvir, era sensível aos problemas de todos, e mantinha-se firme contra qualquer tipo de injustiça. Madiba era movido por uma vontade e um espírito de justiça que não está presente em nenhum destes chefes de Estado que hoje o homenageiam.

A hipocrisia dos radicais.

Os radicais usam a imagem de Mandela para insuflar o ódio e ressentimento naqueles que são vítimas de racismo. E esquecem que Mandela não pregava a violência. Ele comandou sim o braço armado do CNA, mas mesmo no comando ele estava o tempo todo preocupado em não usar de violência senão em auto-defesa e quando fosse extremamente necessário.
O argumento de dizer que os negros são racistas, utilizados pelos conservadores, quando dizem que só depois da cadeia Mandela se tornou um estadista é também hipocrisia. Na cadeia, Madiba lamentava cada morte, cada massacre dos irmãos negros que estavam na luta e escrevia carta encorajando, quando podia. Quando saiu da cadeia ele entendeu que o tempo da violência já tinha passado. E assim ele ensinava a lição, que devemos lutar com as armas que o momento exige. Os radicais do outro lado, não entenderam esta lição, por que nos dias atuais a luta não é pela violência, é a luta pacífica do diálogo, da autolibertação.
Em sua biografia escrita na prisão Mandela fala da importância do homem desenvolver a vontade, o espírito de Justiça, mas também a temperança, a tolerância aliada sempre a coragem e a prudência. Segundo ele, se meditarmos todos os dias, por cinco minutos é suficiente para entender que nós e o Universo somos uma unidade. Então a grande lição de Mandela é que temos que lutar com nossas forças e, com que forças temos, para garantir a liberdade, a igualdade e a certeza de que todos os homens somos irmãos indiferentes da raça, da cor da pele, da origem, ou de qualquer outra diferença.

O Tributo a Mandela.

Quem quiser fazer algum tributo a Mandela que siga algumas de suas lições. Um homem que nunca foi dado a autoglorificação não estaria feliz vendo tanto dinheiro sendo gasto em seu velório e enterro enquanto tantos morrem de Aids ( sua última grande luta), de fome, e de tanta violência.
Pior que isso, certamente ele gostaria de ver os homens mais sensíveis à presença e ao sofrimento dos próprios homens. Certamente que a servidão moderna do consumismo que transforma a tudo e a todos em objetos seria uma grande luta do nosso querido líder Sul-Africano. O verdadeiro tributo à Mandela é dar bom dia ao porteiro, como ele fez com os guardas na prisão; ouvir os mais simples, tocar naqueles que estão no nosso meio com seres invisíveis e não aceitar qualquer forma de injustiça.
Podemos sim seguir em frente. A luta não vai acabar. Como ele mesmo disse, quando subimos uma montanha o que descobrimos é que existem muitas outras montanhas a subir, muitos outros caminhos a seguir. E a luta pela igualdade entre os homens, pelo fim das injustiças, pela dignidade humana continuará, por que afinal, Mandela continuará vivo nos corações daqueles que realmente compreenderam a história por ele vivida.









[1] Nelson Soares dos Santos é professor Universitário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário