Pesquisar este blog

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

PPS – Um partido renovado para restabelecer a esperança.


Nelson Soares dos Santos[1]

Sob a Insigne “Uma nova Agenda para o Brasil: Nova Política, Nova Economia e Novo Governo”, O PPS, Partido Popular Socialista reuniu mais de 250 delegados entre os dias 06 e 08 de Dezembro, na cidade de São Paulo para a realização do seu 18º Congresso Nacional. Mais do que dirigentes e delegados de todos os estados brasileiros, homens e mulheres comprometidos com o futuro do país e a construção de uma cultura de paz entre as nações. Um espaço onde a democracia pode ser exercitada, as contradições exploradas, a cidadania vivida na busca de caminhos que pudessem permitir olhar o futuro de forma otimista e com responsabilidade.
De minha parte, levei ao Congresso Nacional do Partido, duas propostas de emendas ao documento: Uma moção em defesa da Educação Pública, e o requerimento para a criação de uma Coordenação Nacional de Combate ao Racismo como órgão de cooperação da Direção Nacional e com assento na mesma. Mas do que ter tido a alegria de ter visto ambas as propostas aprovadas por absoluta maioria dos delegados presentes, um brilho nos olhos dos velhos guerreiros realçava a alegria de um partido que se renova que busca os caminhos da igualdade, da democracia e do exercício da cidadania participativa sua marca na história.
Sinto orgulho de ter participado de tal feito memorável, e que certamente a história haverá de se lembrar de um momento no qual um partido se construiu fundado nos mais sólidos valores do humanismo, da defesa da igualdade entres os seres humanos, do combate a todas as formas de preconceito e discriminação, como um marco inicial no processo da construção de um desenvolvimento humano em bases seguras, em um país onde a desigualdade ainda reina, e as políticas de inclusão social repetem os erros de uma sociedade patriarcal.
No artigo segundo do seu Estatuto, o partido declara: “O partido se declara humanista, socialista e ambientalista, conceitos enriquecidos com a experiência dos movimentos operários e populares, resgatando a melhor tradição do pensamento Marxista e do Humanismo libertário. Por sua essência democrática e laica, o Partido exclui dogmatismo e sectarismos, e se concebe como um organismo aberto à renovação de ideias e dos métodos, em um marco de respeito à pluralidade das concepções”. Concebido em tais princípios e nos valores mais sólidos da democracia, o partido não teme enfrentar o debate de formulação de um novo conceito de socialismo, não teme colocar na valorização da cidadania suas esperanças mais profundas, por que entende que é no ser humano e na complexidade de Ser do Humano que estão todas as possibilidades de construção de uma sociedade justa.
A Moção por Educação de qualidade.

Compreendendo a complexidade de tais princípios é que propus ao Congresso Nacional avançar na questão da Educação. No congresso Anterior já havia proposto que  a bancada federal assumisse a luta pela educação, o que foi feito com louvor e responsabilidade. Desta feita, propus que o partido se debruçasse, todos os seus dirigentes, nacionais, estaduais, municipais, juventude, mulheres e todos os simpatizantes do partido em um debate sobre a questão da Educação.
Neste debate deverá evocar questões como: Como promover uma Educação pública de qualidade? Escola Integral? Como o Estado deve controlar e fiscalizar a qualidade das escolas particulares para preservar os ensinamentos que contribua para uma educação humanista e libertária? Como se deve desenvolver um processo de valorização do Educador  que contemple a questão salarial com urgência mas que vá muito além das questões salariais? Como desenvolver a vocação para o magistério em nossos jovens?
A ideia de colocar as questões sem respostas prontas advém de compreender o papel do partido como indutor do debate, de tal forma que permita ao cidadão ser ouvido, ideias serem desenvolvidas e a cidadania valorizada. Para, além disso, significa levar o conceito de democracia e de poder local ao seu ponto máximo, fazendo o cidadão sentir-se responsável pela construção do seu futuro. A colocação da Educação em primeiro plano significa e mostra a crença na capacidade do ser Humano de se renovar, e de que é aprimorando os homens que construiremos um novo modelo de sociedade.
Uma Política Humanista de Combate ao Racismo.

A segunda proposta que fizemos foi levantar a discussão sobre as políticas de igualdade racial que tem sido aplicada no nosso país. Acreditamos que um país como o Brasil, com tão grande diversidade não pode continuar desenvolvendo uma política de igualdade racial que em sua essência começa a insuflar o ódio entre as raças, o rancor, o ressentimento e tantos outros sentimentos ruins que contribui mais para separar do que para unir os povos.
Isso não quer dizer que estamos negando as profundas diferenças que existem entre negros, índios e brancos; mas que a luta pela igualdade deve ser desenvolvida com sabedoria. É chegada a hora de refletir os limites das políticas de cotas raciais – será direito  ter cotas para concurso público? –; É chegada a hora de refletir como estão se desenvolvendo as relações entre negros e brancos na questão das cotas, e mesmo, a distinção entre o que é preconceito de raças e preconceito de classe.
Como resultado da proposta do debate, foi criada a Coordenação Nacional de Combate ao Racismo (CCR), como órgão de cooperação do partido com a mesma responsabilidade de órgãos como a Coordenação Nacional de Mulheres e  Juventude Popular Socialista. O Dever da Coordenação será propor uma política alternativa de combate ao racismo, funda nos valores do humanismo libertário, do socialismo, da sustentabilidade, da democracia e do exercício e valorização da cidadania.
A luta pela educação de qualidade, fundada em valores humanistas e libertários, e a construção de canais para dissolver todas as formas de preconceito e discriminação pode se mostrar como um caminho para a construção de um novo modelo de democracia. Uma agenda que poderá proporcionar a construção de um desenvolvimento em bases seguras, um desenvolvimento humano, criativo, solidário e com um ciclo virtuoso. O PPS caminha a passos largos para cumprir o seu papel na construção de uma sociedade onde o respeito diversidade e a tolerância às diferenças seja primordial. Que o futuro nos espere.





[1] Nelson Soares dos Santos é Professor Universitário, Licenciado em Pedagogia pela UFT, Mestre em Educação Brasileira pela UFG. É 1º Secretário Geral do PPS da Cidade de Goiânia, membro da direção estadual do PPS-Goiás, e da Direção Nacional do PPS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário