Pesquisar este blog

sábado, 26 de dezembro de 2015

A confissão do Fracasso de Marconi


Nelson Soares dos Santos[1]

Nos últimos meses um debate tem se destacado no estado de Goiás sobre a Educação. De um lado, Marconi e seus assessores, defendem forma apaixonada a introdução das Organizações Sociais como novo modelo de Gestão da Educação pública no Estado; e, de outro, os seus opositores, também de forma apaixonada afirmam com os mais variados argumentos que as OSs vai acabar de destruir o que resta da educação de Goiás. Afinal, quem tem razão? O que ninguém tem coragem de argumentar e afirmar é que nosso sistema de educação, e não apenas o modelo de gestão está falido. Na verdade a tentativa de Marconi de introduzir as OS,  -  de um lado mostra o rancor e ressentimento do governador para com os professores como noticiou o Jornal “O popular” recentemente - , mostra uma confissão Pública do Governador no campo da Educação: Ele fracassou.
1.           O primeiro argumento que mostra que as OS, é uma confissão do fracasso do Governador é o tempo que ele está no comando do Estado. Marconi Governa Goiás a 20 anos. Sim, vinte anos, já que o Alcides foi eleito diretamente por ele e para ser um poste. Ora, vinte anos depois, e só agora o Governador resolveu fazer algo pela educação, - e pelo jeito algo errado; - isso mostra que ou o Governador não está nem aí para educação, o que teria sentido se comprovado as notícias de que o que ele está fazendo é só por rancor e ressentimento; ou de outro lado mostra que o Governador realmentre fracassou pois durante vinte anos mostra que nada do que fez na educação surtiu efeito positivo.
2.           O segundo argumento que demonstra o fracasso do Governador é a repetição da Secretária Raquel Teixeira. Raquel foi secretária do Governador no primeiro mandato, portanto, há vinte anos atrás. Naquela época Marconi tinha muito mais força eleitoral para implantar qualquer modelo novo, mas, em vez de fazer algo pela educação Raquel implantou uma politicagem de perseguição na secretaria, negando licenças, demitindo aqueles que consideravam adversários e aliciando outros para sua campanha no pleito seguinte. De certa forma,  a estratégia deu certo e um exército de professores medrosos elegeram-na Deputada Federal. Como não teve talento para ser parlamentar tornou-se uma deputada de uma mandato só, perdendo a eleição seguinte e ficando relegada ao ostracismo por um bom tempo. Agora, retornou, e pelo jeito, pelo que se lê, pelo que se ouve com o mesmos velhos hábitos.
3.           O terceiro argumento de que as OS é uma confissão do Fracasso do Governador é a natureza das próprias OS. Ora, em um momento em que tais organizações estão sendo contestadas devido a prática de diversos delitos incluindo corrupção em outros estados como Rio de Janeiro, e países, como Chile, Estados Unidos, Canadá, etc;  implantá-las aqui só pode ser ou confissão do fracasso (não consegue criar ou encontrar nada melhor), ou incompetência mesmo.
4.           Por fim, resta observar a forma como se dá a implantação. Não há discussão com a sociedade, não há clareza das regras e agora, os seus adeptos apresentam a notícia de criação de organizações de última hora ( professores de universidades privadas de outro estado), como sendo um argumento plausível, o que parece mais uma prova de que o processo que ocorre na Educação em Goiás é um processo viciado e perigoso para o futuro da educação.
Tristemente, vinte anos depois, temos que admitir que Marconi Fracassou. Derrotou Iris Rezende trazendo a esperança de que um novo modelo de se fazer política se implantava no Estado mas o que vimos foi a continuidade dos mesmos hábitos, mesmas atitudes, mesmas perseguições. A segurança está sucateada, a educação está destroçada, não há esperança nos olhos das novas gerações que depende do auxílio do Estado. Tristemente, Marconi fracassou. Agora, temos que seguir em frente. Achar novos líderes, novas utopias e seguir adiante. Se Marconi fracassou na educação não há por que acreditar. Um novo sol precisa brilhar, uma nova esperança precisa surgir.



[1] Nelson Soares dos Santos é professor Universitário e membro da Direção Nacional do Partido Popular Socialista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário