Pesquisar este blog

domingo, 14 de agosto de 2011

Dos amores trágicos


Tenho admiração pelos amores trágicos;
Como a bela história de Romeu e Juileta.
Tenho admiração dos amores mágicos;
Não por estas vidas pequenas que acabam em vendeta.

Queria sofrer pelo amor mágico que existe em mim;
Ser dilacerado, ser preso, torturado por anos inteiros;
Não este sofrimento, esta amargura, loucura sem fim,
Estas vendetas as quais tudo pode ser resolvido com dinheiro.

Queria sofrer pelo amor mágico que me faz te amar.
Queria ser preso, torturado, ouvir meus próprios gritos de dor.
Não esta prisão cuja única razão é pagar ou não pagar;
Não por estas vidas pelas quais não é mais possível ter amor.

Tenho admiração pelos homens que sabem amar tragicamente;
E que não desistem da mulher amada mesmo ao morrer.
Tenho admiração dos amantes que amam eternamente.
E preferem a morte ao invés de sendo separados viver.

Tenho admiração pelos homens  que morrem amando.
E que na prisão vivem da força do pensamento da mulher amada.
Por que a liberdade não tem mesmo sentido se vamos definhando;
Vivendo sem esperança de um dia ter a vida desejada.


2 comentários:

  1. Muito lindo!!!!
    Então, sigamos assim.. eu com a s minhas Borboletas e vc com os seus amores trágicos rsrs

    Abçs,

    Ellen Bianconi

    ResponderExcluir
  2. E mesmo aparentemente sendo impossível sobreviver sem alimento, segues amando e nutrindo sentimento.
    Esse é o amor verdadeiro. Vives do que sente sua alma e abastece seu ser com o que seu belo coração produz.
    É de pessoas capazes de amar incondicionalmente que o mundo necessita.
    "Amor é amor e explicação para isso ninguém nunca dará!"

    Lindo e real cada adjetivo ao amor e a esperança existente nestes versos que apresentou ao mundo nesta manhã.

    ResponderExcluir