Pesquisar este blog

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Natal - Tempo de Paz

Fui a missa este domingo. Tenho ido todos os domingos. Acho importante levar nossos filhos a uma igreja, uma denominação religiosa, embora eu não tenha nenhuma religião específica. A escolha da missa é unicamente por ser a confissão materna. O Tema da missa foi o primeiro domingo do advento. Oficialmente para todos os católicos estamos a quatro semanas do nascimento de Cristo, e, os quatro domingos são de espera, preparação para receber aquele que redmiu o mundo e seus habitantes.

Na homilia, o padre lembrou aos fiéis do verdadeiro significado do natal. Não é tempo de bebedeira, de orgias, de glutonarias, mas sim, tempo de paz, tempo de espera, tempo de reconciliação com Deus. É tempo de reflexão sobre os dias que já se viveu na terra, pensar, fazer balanço, planejar o ano seguinte, rever, reconhecer erros cometidos, pedir perdão, perdoar.

O natal é tempo de olhar para o nosso interior e encontrar a Deus, olhar para o nosso irmão e ver Deus, olhar para todos e sentirmo-nos todos irmãos.Todos filhos do mesmo pai e com os mesmos direitos de redenção. Natal é tempo de olhar para nós e ver que os preconceitos que existem em nós devem ser deixados de lado. Natal é tempo de reconhecer de que toda a natureza bendiz a grandeza do criador.

No mundo cristão quase todas as religiões possuem a mesma reverência ao natal. E no mundo não cristão, cada vez mais, aumenta a reverência pelo Mestre Jesus. Hoje, budistas, hinduistas,e tantas outras grandes religiões reconhece Jesus como um grande mestre da humanidade, um grande guia, um grande avartar. De forma diferente todos reconhecem em Jesus um ser Divino.

Nos dias atuais, quando a violência, as drogas, e tantos males assolam a humanidade o natal torna-se uma data importante de recolhimento. Precisamos repensar os valores, repensar o que temos feito de nossas famílias, como temos cuidado daqueles que amamos.

Durante muitos anos fui um fiel seguidor do Adventismo do Sétimo dia, e, hoje lembro com carinho e afeto a beleza das cantatas de natal. Natal era tempo de glória, de santa ceia, de descanso no senhor. Não foi diferente entre os Batistas, Presbiterianos, Assembléianos, e, kardecistas. Em todas elas, o Mestre Jesus é louvado em glória e todos são chamados a buscar uma nnova vida, uma vida de amor, de perdão e de virtudes.

Natal é tempo de paz, tempo de amor. Que neste natal todos os homens possam encontrar o verdadeiro significado do natal, fugindo do consumismo ddesenfreado, o egoismo que mata, o medo e a covardia que destrói. Que todos possamos juntos encontrar o verdadeiro significado do natal.

A caminhada rumo ao eu Interior

Hoje, dei mais um passo na caminhada mística. Terminei uma série de estudos sobre o Martinismo. Os estudos sobre os mistérios perdidos. Durante três anos estudei detidamente e percorri o caminhos de outros cavaleiros que ajudaram a construir a história da humanidade. Debrucei-me sobre a leitura e os escritos deixados por homens como Louis Claude de Sam Martim, Jacob Boheme - O prícipe dos filósofos divinos -, Papus, e tantos outros grandes buscadores dos mistérios do misticismo cristão. Foi uma caminhada maravilhosa, cheia de alegrias, de descobertas, e, sobretudo de crescimento interior.

Aprendido os principais ensinamentos dos mestres do passado, continuarei agora minha caminhada pela vida, buscando servir, ser luz, ser vida, ser amor.Ano que vem, 2011, inicio nova caminhada, meu nome foi aceito para aprender os mistérios de uma nova Ordem, que no momento oportuno revelarei. Será mais uma caminhada rumo ao exercício de coisas já aprendidas, o amor, a justiça, a perfeição. Não posso aqui deixar de agradecer aos mestres do Passado, e aqueles que se dedicaram para trazer até os dias atuais a Tradição. A Ordem Rosacruz (AMORC), a Tradicinal Ordem Martinistam (TOM); e, aos seus mestres e dirigentes por séculos e milênios.

Caso alguem me perguntasse hoje o que o é o misticismo, eu responderia - É uma caminhada rumo ao seu mundo interior, rumo você mesmo, pois é dentro de você que poderás encontrar o seu deus e seu diabo. Misticismo é o caminho do mistério rumo a verdade das coisas, a verdade sobre as coisas, sobre Deus e o Universo, e seu principal livro de estudos é o homem. O melhor método, a busca da transformação de si mesmo em Luz, Vida e Amor.

A principal força que rege o mundo, o Universo e o Cosmo é o amor. Então, não precisamos ficar ansiosos quando sabemoso amar. O amor é o sentimento onde nele tudo pode estar presente. No amor cabe tudo, suporta tudo, tudo espera, tudo cre, tudo perdoa. O amor jamais acaba. Quando decidimos aprender a viver o amor e empreender a grande viagem pelas vias do amor a vida se torna um mar, um oceano de surpresa a nos esperar.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

A Guerra no Rio de Janeiro

Acompanho com intenso interesse os acontecimentos no Rio de Janeiro. Tenho amigos que moram naquela federeção e estou feliz que o Estado Brasileiro tenha feito valer a sua soberania. Estou com 36 anos de idade, e não tem algo que eu tenha acreditado com tanta fé quanto o fato de o Estado fazer valer sempre sua soberania em território nacional. Quando membro e dirigente do Partido Comunista do Brasil, defendi tal tese com todas as minhas forças, hoje, como membro e dirigente estadual do PPS ( Partido Popular Socialista) Seção Goiás, estou feliz que as coisas parecem chegar a um desfecho onde a razão, a liberdade, e os valores da nação sejam preservadoso e o cidadão possa viver em paz.

Todos nós que lutamos por um mundo melhor, que somos defensores dos direitos humanos entendemos que não pode existir paz onde um grupo de pessoas constrói suas próprias leis. As leis tem de ser para todos, o estado deve proteger a todos e punir aqueles que não aceitam as regras do pacto social. Temos de defender o direito a educação, saúde, segurança, lazer, cultura, mas temos também de defender o respeito a lei. Nada, nada justifica um cidadão portar arma de grosso calibre, queimar carro dos outros, matar, esfolar, só para criar suas próprias leis.

O melhor de tudo é ver que todos os estados brasileiros parecem estar prearados e prontos para estabelecer a paz na nação.E o povo, a imprensa parece finalmente tornarem-se conscientes de que apenas o Estado deve ter o monopólio da força. Isso ajuda a fortalecer as instituições, a democracia, o processo político e o processo eleitoral, pois devemos saber que a escolha dos governantes certos, competentes e íntegros é a base para se construir uma nação para todos.

sábado, 20 de novembro de 2010

Uma linda Rosa Juvenil.

Olá pessoal,este blog, dentre outras coisas, todos que vem aqui sabe que é onde deixo meus devaneios. É meu divã. Hoje vou devanear sobre o momento mais lindo do ano de 2009. O dia em que minha filha foi uma linda Rosa Juvenil. Era o dia 30 do mês de novembro, mas posso dizer que a festa começou bem antes, no dia que recebi o bilhete da escola dizendo que ela queria participar da apresentação do balé da escola. Tema: Uma linda rosa Juvenil.

Foram tres meses vendo ela dançar pelos corredores da casa e cantar: Uma linda rosa juvenil, juvenil, juvenil, Uma linda rosa juvenil, juvenil. A mãe, aflita, correndo para um lado e para o outro sofreu durantes os três meses a procura da tal fantasia da rosa. Tinha de ser tudo perfeito. A mãe da Malu é a coisa mais linda como mãe, é uma daquelas mulheres que não tivesse tido o privilégio de ser mãe não viveria feliz nesta terra. A filha é seu maior tesouro.

Chegou o dia e passamos o tempo todo correndo de um lado para outro. Se existe momentos felizes na vida, posso dizer que 30 de novembro de 2009, foi um destes dias na minha vida. Vestida de rosa,linda, juvenil, subiu ao palco. Chegamos ao local debaixo de uma intensa chuva, mas mesmo a pior tempestade que fez com que muitos pais se atrasassem impediu que o auditòrio estivesse cheio, vendo aqueles anjinhos celebrarem a beleza da vida na terra.

As lágrimas vertiam dos olhos de muitos pais, e, olhando de lado ali estava a mãe orgulhosa que não sabia se sorria ou se chorava, se abria os braços ou se respirava. Eternecida, com o semblante estava ali, como se visse a maior maravilha de sua vida, sua filha, terna filha a dançar e a cantar para mais de mil pessoas - Uma linda rosa Juvenil.

Naquele momento aprendi que qual homem não foi pai e não viu a beleza no rosto de uma mulher tornando-se a cada dia mais mãe, não sabe o que é a beleza de uma mulher. Aprendi que uma mulher não é bela quando veste roupas sensuais e sim quando sai de si vendo seus filhos tornarem-se seres humanos. Aprendia que a verdadeira beleza da vida é em tornar-se eterno pela evolução de nossos filhos que divulga a luz, a vida e o amo. São nossos filhos os mensageiros da nossa fé, esperança e caridade. Eu aprendi tudo isso com uma linda rosa juvenil.

Coragem, Perdão e amor?

Ontem, escrevi muito sobre coragem. No entanto, não defini de forma clara o que vem a ser a coragem. Muito já se disse e já se escreveu sobre tal coragem. Na poesia, na literatura, na religião, na ciência e na filosofia. Quem assistiu o filme "Tróia" e vê Aquiles enfrentar Heitor, pode perceber ali, como ambos tem a virtude da coragem. Quem assistiu Alexandre invadir o flanco esquerdo do exército de Dario e vencer a batalha de Issos, pode perceber ali a coragem dos homens de todo um exército em uma luta que lhes valia a vida, a morte e ou a a vida e a glória.
A coragem é a capacidade de enfrentar o medo. Queremos dizer com isso que todos os homens sentem medo. Alexandre sentiu medo e confessou isso a seu amante. Aquiles sentiu medo e confessou a sua amada. Heitor sentiu medo e confessou á sua esposa. Tantos outros homens ao longo da história sentiram medos, mas ficaram na história como heróis por que souberam enfrentar o medo e continuar com a ação planejada. Não fugiram, não desistiram, não mentiram, não enganaram. Quando preciso enfrentaram a morte olho no olho e por isso, dizem, venceram a morte e se lançaram para a glória eterna.

Coragem é a capacidade de enfrentar a dor, o medo, o perigo, a intimidação. Tem o coragem o homem que ao perder sua família, emprego, finanaças continua a se levantar todos os dias cuidar de suas responsabilidades. Tem coragem o homem que nas condições mais adversas continua a agir. Coragem é ação. O que significa então coragem ligada ao amor? Tem coragem o homem que mente e engana a mulher amada mas dela não cuida, não gastando com ela um só centavo? Ou terá coragem a mulher que ao dizer amar um homem abaixa sua cabeça e não o defende das línguas maledicentes de outros quando desfrutado dos seus cuidados e proteção? Tem coragem a mulher que se arrisca no encontro com o amante as escuras por medo de trair o marido que a alimenta, e protege?

É preciso entender que coragem é uma virtude. Como tal tem sua falta e seu excesso. No excesso temos a temeridade. Pode se dizer também de inconsequências. A mulher que trai o marido não é uma mulher corajosa, é inconsequente, temerária, por sua vez, covarde e dada a luxúria. Caso fosse corajosa enfrentaria e resolveria os problemas no casamento. A mulher que não defende o marido que a sustenta das línguas maledicentes, antes abaixa a cabeça e concorda é no mínimo covarde, pois se tivesse coragem não lhe restaria outra opçao a não ser defender aquele que lhe dá apoio e proteção. Ao não agir com senso de justiça comete-se os pecados capitais da inveja, do orgulho, da maledicência, e tantos outros.

O que dizer então do homem que sendo medroso inventa todos os tipos de mentira para ter a mulher amada sem assumir nenhuma responsabilidade para com ela? Não se trata só de medo, ou, falta de coragem. Este peca por corvadia, luxúria, inveja, falta com verdade. Um tal homem está quase no estado de animalidade.´Eu diria que não chega a ser um homem, antes, um animal provido de algumas possibilidades humanas.

A coragem enquanto virtude, como discuti no artigo anterior, necessita que exista no ser que a possui outras virtudes. Na luxúria não há coragem. Na perversão não há virtude. A coragem pode ainda ser dividida em duas: a coragem física e a coragem moral. A coragem física é a capacidade de lidar com a dor física, e, necessária para que se tenha a virtude do trabalho. E, aqui, cabe lembrar que muitos homens trabalham não por virtude, mas por medo de passarem fome,e para estes, as coisas materias são mais importantes que tudo, vivem escravos do dinheiro. A coragem moral é feita daqueles elementos necessários para se enfrentar de cabeça erguida a dor da alma, a dor da mente, a dor do espírito. A coragem moral é o elemento mais importante para que o individuo tenha capacidade de perdoar.

Na verdade, não existe amor no coração de um homem que não tenha a virtude da coragem. Só os fortes e corajosos são capazes de amar e cuidar de alguem. Só os fortes são capazes de perdoar, enfrentar a dor da alma e seguir em frente. São capazes de perdoar por que na busca pelo conhecimento de si, sabe dos próprios limites, e, portanto, consegue ver no outro uma possibilidade de si. São capazes de perdoar por que sabem que o outro é o reflexo de si, e a essência da humanidade

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Sobre coragem, perdão, amor, medo e covardia.

Vivemos em um tempo que algumas palavras quase não são pronunciadas. Alma, espírito, virtudes, e, caráter são algumas delas. Vivemos em uma época em que se tornou normal mentir, ser hipócrita, omitir a verdade, corromper e ser corrompido. Da forma como estão as coias parece até que não é difícil acreditar no apocalipse cristão.
As virtudes nos dias de hoje não é assunto tratado. Parece que o normal é sequer tentar pensar em tais questões. Honestidade? que isso? Gente honesta demais o destino é terminar mal, na pobreza e na miséria, dizem alguns. Prudência? Coragem? Tolerância? Que nada. O importante é quanto você vai lucrar com as situações vividas. A grande maioria estão preocupados apenas com uma coisa: como fazer para ter o máximo de prazer, poder, dinheiro. As coisas tomaram o lugar do ser. A velha questão "Ser, ou não Ser", não tem nenhum sentido mais para a maioria.

Em tempos assim, é quase impossível viver a virtude do amor. E aqueles que escolhem viver a virtude do amor defrontam-se com dificuldade incomensuráveis, e, quase intransponíveis. É do amor que quero falar. Já disse sabiamente o apóstolo Paulo na sua carta aos coríntios - o amor tudo suporta, tudo espera, jamais acaba. Havendo profecias desaparecerão, o amor, jamais. Cantou o poeta - " O amor é fogo que arde e não se sente, é um contentamento descontente. - Ao longo da história humana muito já foi dito sobre amor. A minha pergunta é : Os covardes podem amar? qual a relação entre a virude da coragem e a virtude do amor?

O velho mestre Aristóteles, ao escrever sua Ètica a Nícomacos, deixa claro que não. Para ele, algumas virtudes só existem em um homem quanto se tem outras virtudes que lhe servem de base. No topo estão as virtudes intelectuais. Para aristóteles o homem virtuoso terá que necessariamente ter as virtudes intelectuais, entre as quais estão a sabedoria e o conhecimento. Abaixo das virtudes intelectuais estão as virtudes teologais - fé, esperança e caridade; abaixo destas, as virtudes - Coragem, justiça, temperança e prudência; abaixo um pouco mais as virtudes morais - sobriedade, trabalho, prodigalidade, castidade, mansidão, generosidade e modéstia.
No meio de tudo isso estão os pecados capitais, ou seja, na medida em que um homem não consegue ser virtuoso ou ele vai ao excesso ou a falta. A dimensão dos limites ultrapassados leva-o aos pecados capitais - Gula, avareza, preguiça,luxúria,coléra, inveja e orgulho.

O medo e a covardia são dois limites ligados a virtude da coragem que por sua vez afeta a possibilidade do homem ter outras virtudes. Um homem medroso e covarde pode a vir ser temerário, portanto, a matar por medo de morrer. Poderá ser um homem trabalhador, mas jamais capaz de correr riscos. Não será manso, o medo e a covardia impede a paz e a mansidão. O medo impede que se tenha fé e que se tenha esperança. O medo e a covardia quase sempre vai levar a avareza, a luxúria, coléra, inveja e orulho.
O homem medroso e covarde tem inveja do homem virtuoso. O homem medroso é avaro por que tem medo de tudo perder. O homem medroso não é capaz de amar, por causa da sua avareza, da possibilidade de correr riscos.

NO amor, existe espaço para quem é virtuoso, ou para quem luta e trabalha por se tornar.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

O pneu furado do ônibus, o voto e a corrupção
Viajei para Goiatuba nesta segunda feira. Feriado, ônibus lotado, viagem cansativa. Até ai quase tudo normal. É claro que viajar em ônibus velho, poltronas velhas, sem ar condicionado, já é costumeiro para os passageiros que se deslocam da capital para os municípios goianos. É assim, a Empresa São José do Tocantins que faz linhas para as cidades do Nordeste Goiano, sobretudo Campos Belos e alguns municípios do Tocantins, como Arraias, Taguatinga, dentre outros. É assim também com a Empresa Viação Estrela que faz o percurso Goiânia – Buriti Alegre, passando por cidades como Aparecida de Goiânia, Professor Jamil, Morrinhos e Goiatuba. Nesta viagem um acontecimento diferente chamou minha atenção – o pneu do ônibus furou, e, ao pararmos em uma borracharia aconteceu um diálogo entre alguns passageiros que passo a descrever aqui.
Tudo começou a acontecer quando o borracheiro detectou que não tinha como arrumar o pneu. Um dos passageiros afirmou que aquilo que estava acontecendo era um descuido da empresa para com a população e que todos precisavam denunciar o tipo de acontecimento ali a Agência Goiana de Regulação ou a Agência Nacional de Trânsito. Nesse momento o Motorista fez uma intervenção dizendo: Não adianta, alguém pode até denunciar, o fiscal pode até ir lá, pode até mesmo achar problemas, mas no final tudo termina em propina, as empresas de transportes compram todos estes órgãos, financia a campanha dos políticos e tudo termina como se nada tivesse acontecido.
Ouvi aquilo e fiquei pensando na anomalia que está se transformando a nossa sociedade. Todo mundo sabe que a corrupção existe, todo mundo sabe que quem é os corruptores e os corrompidos e ninguém faz nada para mudar a situação. Intrigado eu questionei se nós que ali estávamos não podíamos fazer nada, por que votamos nas mesmas pessoas, nos mesmos políticos, e aceitamos viver no meio deste mar de corrupção cercando a todos nós. Um dos presentes se apressou a responder citando o exemplo do prefeito de goiatuba que retirou a gratificação de muitos funcionários, diminui salário até de professores para cumprir a lei de responsabilidade fiscal. E , impressionado ouvi-o dizer: se o prefeito tivesse administrado com responsabilidade não precisava fazer isso agora, certamente o dinheiro que ta faltando no caixa foi parar no bolso de alguém. Mas o que podem fazer os funcionários? Retrucou-o para em seguida responder que nada, uma vez todos eles precisam viver cuidar da família e sabem que se reclamar pode acabar perdendo o emprego, mesmo aqueles que são concursados.
No restante da viagem, o ônibus balançando, a chuva na estrada fui a pensar sobre como a corrupção se espalhou na sociedade. E a maioria das pessoas encontra-se presas, sem conseguir dizer não, fracas para dizer um basta, presas pela sobrevivência por um pouco, por quase nada que não torna-os melhores. Antes os faz triste a cada dia, todos começam a não ver sentido na vida, e , começam a pensar que viver é apenas ir sobrevivendo, vendo os dias passar e servindo aqueles que tiram de nós a nossa liberdade, nosso direito de escolher representantes probos e dignos daquilo que queremos para nós e para nossos filhos.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

A Liderança de Marconi Perillo IV – O desafio da definição ideológica
Nelson Soares dos Santos

As eleições terminaram, Marconi Perillo é o novo governador de Goiás. No ano passado escrevi cinco artigos dissertando sobre como se deu a construção da Liderança de Marconi em Goiás. Nestas eleições um novo quadro se apresenta ao Jovem Senador, o desafio de expandir sua liderança para além das fronteiras do Estado de Goiás e quiçá tornar-se uma das lideranças do PSDB em todo país. Muitos analistas têm escrito sobre os desafios que enfrentará a liderança de Marconi, alguns acham que Marconi terá de reinventar-se, outros, acreditam que o seu maior desafio será fazer um governo de realizações, outros ainda, mais apressados, acreditam de forma romântica que a liderança de Marconi está consolidada em Goiás e ele está pronto para dar saltos maiores. Não conjugo de nenhuma de tais interpretações. Creio que o grande desafio de Marconi será a sua definição ideológica.
Primeiro, não acredito que a liderança de Marconi é inconteste em Goiás. Sua vitória, apesar de ter sido uma demonstração de força só foi possível por que se aliou novamente ao Democratas, contou com uma união partidária invejável dentro do próprio partido e aliados fiéis e de primeira hora como o PPS – Partido Popular Socialista, PTB – Partido Trabalhista Brasileiro. Não fosse a defesa do Patrimônio Político feita de forma diuturna pelo PSDB - com destaque para o Deputado Daniel Goulart, Carlos Alberto Lereia e Jardel Sebba; no PPS – com destaque para a batalha enfrentada por Gilvane Felipe, por meio de artigos e presença na imprensa; e no PTB, pela fidelidade do Deputado Jovair Arantes, possivelmente a oposição teria logrado êxito na tarefa de desconstruir a imagem política do senador. O Democratas, divido, participou desta defesa com destaque para a atuação política do deputado Vilmar Rocha, e no PP – Partido progressista e do atual governador, contou com a atuação fiel do deputado Roberto Balestra. Marconi contou com uma estrutura conservadora para se eleger, agora, é esperar como ele lidará com as alas dissidentes, sobretudo do democratas que o apoiou no processo eleitoral.
Segundo, não concordo com um governo de realizações dará consolidação desta liderança devido a expressão que tem o nosso estado no cenário nacional. O pragmatismo realizador não projeta grandes lideranças. É preciso muito mais que isso. Outrossim, a realização de um governo de grandes realizações ainda depende da montagem do governo, o que esbarra na composição política do secretariado. Os primeiros nomes da equipe de transição indicam mais do mesmo do governo passado, sem grandes novidades, e, pior, neste governo, distante dos partidos de esquerda, o Governo Marconi terá unicamente o PPS como partido Progressista e de origem na esquerda a apoiá-lo. Portanto, uma característica do governo passado que foi o investimento em Educação, criação da UEG,e o fortalecimento da rede de proteção social, pode estar comprometida neste governo. É preciso saber para que parcela da população haverá de fato grandes realizações.
Por fim, é preciso lembrar que os dois primeiros governos Marconi governou com um pé na esquerda e outro na direita. Agora, as forças de centro-direita são dominantes no seu governo e delas vieram o reforço necessário para garantir a eleição. Sem o apoio dos conservadores do estado, detentores da estrutura financeira necessária Marconi não teria logrado êxito na luta contra todas as máquinas públicas que trabalho para Iris Rezende ( o governo federal, estadual, e as principais prefeituras). A ala extremamente conservadora do democratas e do PSDB cobrará agora sua fatura.
Todas estas questões se resume a uma outra. No cenário nacional está ganhando força um debate de valores, um debate ideológico e conceitual. Marconi terá de entrar neste debate se quiser obter espaço no cenário nacional. Aliado a isso, a evolução da sociedade brasileira aponta um aumento crescente de pessoas com capacidade análise o que tornará este debate ainda mais importante. Com isso, creio que o conceito de estado, o papel do estado, as relações institucionais que se estabelece na sociedade, a questão da família, das amplas liberdades, deverão serem lembradas até mesmo na hora de definir os investimentos do estado. Neste sentido, fica inequívoco que o grande desafio de Marconi é agora definir seu perfil ideológico. Não poderá mais ser contra o PMDB, ou a política da panelinha, terá que ter um projeto próprio, de governo, de estado e de sociedade.