Pesquisar este blog

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Beleza singela.




Tu és bela. Tua beleza intriga a qualquer olhar.
Sem saber, tu és, quase sempre, singela.
Teu olhar traz aquela beleza única de tarde aquarela;
Sem saber, tu têns a suavidade da brisa ao luar.

Tu és linda. Invejas a ti a poderosa Helena.
Ah! Ela não tinha tua sabedoria, nem o teu poder.
Ah!, Ela não sabia ser encantadoramente doce e serena,
E, quando não sendo, saber sempre  ser mulher.

O teu olhar meigo, sonho de vidas idas.
A tua busca, imensa do amor perdido.
A tua sorte, que cresce ao entardecer.

És a ti, que dedico esta poesia/margarida.
No afã de que do sonho esquecido.
Tua alma se lembre no novo alvorecer.



Um comentário: