Pesquisar este blog

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Sobre a Inveja


 Nelson Soares dos Santos

Imagine uma pessoa eternamente insatisfeita com tudo que se tem. Uma pessoa que não consegue perceber o que se tem na vida por que está sempre vendo o que os outros tem. Passa dias e noites “vigiando” os outros, desejando o que é o do outro, mas apenas até aquilo vir a se tornar dela, e quando se torna ela o despreza por que já não vale mais tannto e o que tem valor é o que é do outro. Esta é talvez uma das possíveis descrições de uma pessoa invejosa.
1.           A inveja é condenada em todas as religiões. Mesmos nas religiões mais esdrúxulas, estas que pregam a teologia da prosperidade onde pastores entram com carros na igreja para os fiéis tocarem e assim serem abençoados, ainda assim condenam a inveja, o que parece uma contradição.
2.           A igreja Católica Romana coloca a inveja como um dos sete pecados capitais e recomenda aos fiéis a prática da caridade, do amor ao próximo, e o exercício de se colocar no lugar do outro como antídoto para tal mal tão execrável.
3.           Para a Igreja Ortodoxa, a inveja é o fruto da mediocridade. “a inveja e o ciúme do mérito alheio acusa e revela a mediocridade de si próprio”, afirma o marquês de Maricá. São Basílio afirmava que devemos sempre colocar o herói que existe em nossos corações acima de tudo,” Tem que ser como as abelhas, comem o que as alimentam na flor, o demais o deixam fora. Assim cada um de nós tem algo para acrescentar no outro, juntos crescemos com as virtudes nossas e dos demais. Não deixar que a mediocridade domine nosso ser tentando eliminar os nossos sábios. Baseando-nos que o amor prevalece sobre a mediocridade, assim como o fogo sobre a cera, que facilmente a amolece, e assim o calor do amor dissolve todo ciúme, inveja, orgulho e arrogância. O fogo do amor vence o temor e a inveja.
4.           Para o Budismo, a inveja é o fruto do nosso ego ferido, pois a felicidade alheia jamais pode interferir na nossa felicidade. Não precisamos destruir o outro, ou mesmo desejar o que do outro para alcançarmos a felicidade. É por tudo algo destetável e que deve ser enfrentado com rigor.  A felicidade nossa deve vir de dentro, na medida em que nos harmonizamos com a natureza, com todos os seres viventes e com o universo.™´
5.           Para o espiritismo, apenas pessoas que não se vigiam podem vir a serem vitimas da inveja. Outrossim, se você cultiva bons pensamentos nada aproximará de você que não seja o bem. Então nesse caso a recomendação é que você cuide de você mesmo, o que os outros pensam de você não é problema seu, é problema deles. Agora se você tem inveja pertinaz dos outros deve fazer uma reforma íntima e começar a cuidar da sua vida e esquecer a dos outros.
6.           No Islamismo a inveja e a hipocrisia são as principais portas do inferno. É listada entre as doenças do coração, sendo a terceira pior doença perdendo apenas para  da dúvida e má intenção e a hipocrisia. A cura seria possível por meio da aproximação de Deus por meio da prece e da adoração.
7.           Uma coisa é certa: a inveja é algo detestável em qualquer religião, qualquer cultura, qualquer civilização. Por isso amigo, se você sente tristeza ao ver alguém feliz, sofre por alguém ter algo que você não tem, cuide-se: seu coração está com as portas abertas para uma terrível doença que pode lhe matar.

8.           E não pense que inveja é apenas por coisas financeiras e materiais. Há inveja moral, intelectual, e, a pior de todas em minha visão: a inveja espiritual. Esta acomete todos aqueles que dizem buscar a Deus e evoluir espiritualmente. É cruel por que ela vem sempre adornada por uma aparência de bondade e quase sempre os possuidores dela são verdadeiros psicopatas que se utilizam do mundo espiritual para enganar as pessoas mais inocentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário