Pesquisar este blog

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Eu quero, eu posso, eu não consigo...


Nelson Soares dos Santos

Tudo posso naquele que me fortalece ( Filipense 4.13)
A primeira parte da frase que segue no texto acima é um versículo bíblico ( Filipenses 4 :13) que eu adorava utilizar em minhas pregações quando membro da Igreja Adventista do Sétimo dia. Naquele tempo, (1987/1992), eu já costumava contrariar alguns ouvintes com a seguinte pergunta: o que o Apóstolo Paulo quis dizer com este tudo? Será que podemos fazer tudo que quisermos se tivermos fé em Deus? Aumentava a polemica acrescentando outros exemplos como : Se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda direis a este monte: sai daqui e vai para ali. (Lucas 17:6). Depois de contar diversas histórias ilustrativas eu recuperava os versículos e procurava mostrar que tais palavras possuíam um contexto, e que estes não podiam jamais serem ignorados no processo de leitura.
Eu utilizava destes argumentos buscando ajuda nas concordâncias bíblicas. A culpa mesmo foi de quem colocou ao meu alcance as obras completas de Gregório de Matos Guerra e do Padre Antônio Vieira. Lembro-me como devorei os sermões do padre vieira volume a volume. E depois de tais leituras a bíblia para mim nunca foi mais o mesmo livro. Outra razão que me fazia usar tais argumentos era ver a forma como a leitura errada da bíblia levava muitos membros sinceros da Igreja a abandonarem o caminho pensando que não eram dignos, que não tinha fé suficiente, por que nas suas vidas sentiam-se por vezes abandonados por Deus.
Eu procurava sempre mostrar que Deus nunca nos abandona, e que na verdade as palavras de Paulo quando ele dizia,  - Tudo  posso naquele que me fortalece, -  não queria dizer que ele podia ser rico, e queria dizer também isso; mas sobretudo queria dizer que não importava se ele tivesse que enfrentar a pobreza ou a riqueza, a doença ou a saúde, a alegria ou a tristeza; todas as coisas, todas as coisas podiam ser enfrentadas tendo Deus na vida.
Nos dias atuais, muito se tem utilizado este mesmo versículo e se transformou em moda, não somente no interior das igrejas, mas ate mesmo entre pessoas que jamais se preocupam ou se preocuparam seriamente com a religiosidade acreditar que a força do pensamento Positivo ( Tudo Posso), é capaz de solucionar todos os problemas. Livros mais livros tem sido publicados e lidos de forma aligeirada e sem nenhuma interpretação do contexto, o que leva muitos a desilusão, ao fracasso, a doenças e até mesmo a loucura. Entre os exemplos de tais livros podemos citar “ O monge e O Executivo”, “ O Segredo”, “ Os segredos de uma mente milionária”, dentre tantos outros conhecidos do público.
O que as pessoas que repetem como um mantra o (Tudo posso/ Eu quero, eu posso, eu consigo, etc), se esquecem é que nestes mesmos livros existem algumas palavras chaves, e, sobretudo a história dos homens que são tidos como exemplos apresentam uma vida virtuosa, disciplinada, de esforço e dedicação aquilo que se faz. Vejamos por exemplo, a história de “ O monge e o Executivo”. É verdade que o executivo depois de ficar uma semana em um mosteiro, conviver com os monges, meditar e fazer preces a Deus, encontrou-se a si mesmo; e, retornando a sua cidade e empresa tornou-se um homem ainda mais feliz e mais bem sucedido. O que o livro deixa passar implícito é que durante toda a vida daquele homem foi dedicada aos estudos, ao trabalho, e a família.  O que ele fez em uma semana de meditação e prece foi reorganizar a bagagem que já possuía.
Outro livro citado aqui, é “O Segredo”. Vendeu milhares de exemplares, e pode se contar quantos teve sucesso ou pensaram que não tiveram com a leitura do livro. Subliminarmente a idéia do pensamento positivo o livro traz lições de vidas virtuosas. Ora, o que se pode esperar quando se afirma que “ O que você pensa, você é”? . Não compreendido ou compreendido de forma superficial o livro parece um amontoado de afirmações; bem compreendido é um convite a uma vida austera, de disciplina, de amor ao próximo e ao sumo bem.
É por ler estas obras de forma tão superficial que muitos repetem diuturnamente (Eu quero, eu posso, eu consigo), e nada acontece, até por que esta afirmação não tem nenhuma relação com a mensagem destas obras. Primeiro por que as mensagens destas obras trazem subliminarmente uma ética universalista do Sumo Bem. Ou seja, a minha prosperidade ou o bem que vivo e tenho é diretamente proporcional ao bem que faço aos outros e ao Universo; e, segundo, por que a própria forma como as pessoas fazem eliminam a parte do “Eu devo”. Ora, o eu devo é aquele limitador que nos faz escolher entre o bem e o mal, o certo e o errado, o divino ou o diabólico.
Assim, enquanto alunos estiverem pensando que vão conseguir chegar a Universidade, ter um diploma, e ter uma carreira profissional de sucesso sem esforço, disciplina e vida virtuosa, estaremos assistindo o desenrolar de vidas fracassadas no futuro. Enquanto homens e mulheres estiverem acreditando que vão conseguir manter um casamento e um lar em harmonia, sem serem honestos, verdadeiros, amorosos, respeitosos e responsáveis, estaremos assistindo o aumento da violência nos lares. Enquanto homens de negócios acreditarem que podem ter sucesso trapaceando, mentindo, roubando, sendo espertos em vez de agirem de forma moralmente correta, estaremos assistindo as mais diversas tragédias em nossa sociedade. E no final, poderemos repetir ironicamente o restante do nosso titulo: Eles querem, eles pensam que podem, mas no final, não conseguem, não terminam bem.

2 comentários:

  1. Olá Nelson Soares
    Fazia tempo que não lia e voltei aqui à partir do convite no Facebook.
    Me deliciei com esta Leitura que reafirma o que acredito. Nada posso sem o esforço diário. Só chegamos em nosso objetivo quando trilhamos o caminho da preparação.
    Acredito que posso tudo em Deus e que com Ele sou mais que vencedora, mas reconheço que muitas vezes o vencer não está no meu destino, pois a vida é feita de realizações e não realizações.
    Obrigada por partilhar tamanha beleza e grandeza de pensamento conosco.
    E, à propósito, em alguns destes livros existe a idéia de que as coisas ruins que nos acontecem são procuradas por nós, que é nosso medo e nosso pensmaento que trás as tragédias sobre nós.
    Não creio nisto - apesar de que creio na Lei do Plantio - mas muito do que nos acontece está fora de nossas previsões.
    Creio que o que é o bom ou não podem vir sobre nós, por mais perparados que estejamos.
    O que precisamos mesmo é de centrar nossas vidas e ideais no preparo e no estudo diário de nossas estratégias.
    Tenha Paz sempre
    Elis

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Elis. É, dentre outros motivos, por isso que escrevo este blog. Caso uma pessoa que seja encontrar aqui algum lenitivo para a vida, longe do que se tem oferecido a um preço muito alto, estou satisfeito.
    Quanto aos livros de Auto-ajuda, quero,ao longo do tempo, fazer análises breves sobre algumas obras. Entre elas está "O Segredo". Também quero em breve, produzir um texto sobre o capital espiritual, que começa ganhar força nas discussões.

    ResponderExcluir